Sobre experimentar-se, autoconhecer-se e treinar-se

Durante a preparação do Workshop Treinamento Atoral Intensivo, Andrea Weber, fala um pouco sobre sua experiência como artista, o aprendizado com integrantes do Odin Teatret, e o que considera ser artista em tempo integral.

1460071_1058118637595282_315141066926727162_nARTE SECRETA DO ATOR
Em dezembro de 2015 estive na Residencia “A Arte Secreta do Ator” realizada com excelência pela querida Luciana Martuchelli a alguns anos em Brasilia. Embora já estivesse praticando questões da Antropologia Teatral durante o ano de 2015, esse foi o primeiro contato direto que tive com integrantes do Odin Teatret, em que pude acompanhar em regime de imersão o processo de criação de Eugenio Barba e os treinamentos de Julia Varley, essa experiência ampliou absurdamente meu desejo de pesquisar as possibilidades de criação a partir do movimento, e principalmente de “pesquisar-me”, o que funciona pra mim como atriz? como eu funciono nesse tipo de treinamento? O que funciona pra cada um dos meus atores quando estou dirigindo? Venho cotidianamente buscando respostas para essas perguntas, encontro algumas respostas, novas perguntas aparecem, e se configura um processo constante de aprendizado.

OS APRENDIZADOS COM INTEGRANTES DO ODIN TEATRET
Quando olho pra configuração do Odin Teatret vejo o mundo contemplado ali, no sentido das influencias interculturais ou transculturais que constituem o grupo, seja através das pesquisas dos seus integrantes, seja em como isso se mostra nos espetáculos. Isso torna cada contato com algum integrante do Odin uma experiência que aponta para uma área específica, com Eugenio Barba fui tocada pela forma com que ele “organiza”, as vezes de forma caótica, o espetáculo, unindo partes completamente distintas e fazendo um “todo” que comunica. Com Julia Varley fui tocada pela intensa pesquisa vocal que se apresenta em seus treinamentos e em suas demonstrações de trabalho. Com Jan Ferslev fui tocada pela precisão, precisão dos movimentos, precisão do olhar, o foco. Por isso falar do Odin é falar de muitos, porque as contribuições de cada integrante são completamente distintas, e ao final se complementam de alguma forma dentro da gente.

TREINAMENTO ATORAL
Acredito que a idéia de treinamento constante para o ator, um treinamento individual ou junto a um coletivo, de certa forma “empodera”, já que a palavra está em alta, porque o ator se responsabiliza pelo seu trabalho, pela manutenção do seu “instrumento” que é o corpo, a voz, a sensibilidade. Olhar-se e perceber quais são as questões que você precisa trabalhar mais, perceber suas facilidades, abrir o olhar pro mundo e perceber o que te sensibiliza, o que te alimenta como artista. Isso é ser artista em tempo integral.

IMG_20160219_170030LABORATÓRIOS
Venho de experiências com Laboratórios em duas posições completamente distintas, no LAPCA Laboratorio de Processos de Criação Atoral, na UNESP, orientado pela Profª Drª Lucia Romano, em que participei me pesquisando como atriz. E o LITA Laboratorio de Intestigação e Treinamento Atoral em que atuo como orientadora na pesquisa dos atores que participam deste Lab. Essas vivências se complementam e ajudam a responder aquelas questões “do que funciona pra mim como atriz”, “do que funciona pra cada um dos meus atores quando estou dirigindo”, e vai além, “do que funciona dentro do processo dos meus alunos ainda em formação”. Essa inter-relação de papéis, atriz, diretora, pedagoga torna a pesquisa muito mais completa.

TÉCNICAS
Nunca fechei meu trabalho em apenas uma linha de pesquisa, não sou stanislavskiana, nem brechtiana, nem larguei tudo o que eu fazia antes pra “seguir a linha” do Odin Teatret depois de conhece-los. Sei por exemplo que funciono lindamente e me dou super bem com o método Michael Chekhov, sei que não funciono com práticas de exaustão, ter essa consciência é ótimo no sentido da auto percepção, meu lance é compreender as ferramentas e poder lançar mão delas de acordo com o que aquele trabalho exige de mim, seja como atriz, seja como diretora. Não gosto de nada que me restrinja como artista, não cabe rótulo na arte.

WORKSHOP
Eu descreveria o Workshop Treinamento Atoral Intensivo em: experimentar-se, auto-conhecer-se e treinar-se. Criaremos um ambiente que favoreça essas ações, que possa ser um start para artistas que ainda não tiveram essa experiência ou um momento de reciclagem pra quem já treina e já está nessa busca. A idéia não é propor um workshop nos moldes do Odin Teatret, mas expor e propor práticas que minha experiência em diversas vertentes, incluindo a Antropologia Teatral, se mostraram uteis no trabalho do ator.

Saiba mais sobre o workshop em:

http://escolanacionaldeteatro.com.br/noticias/workshop-treinamento-atoral-intensivo

Foto 1 – Andrea Weber ao lado de Eugenio Barba na Residência Arte Secreta do Ator
Foto 2 – Práticas de treinamento no LITA

Deixe seu comentário